Expectativas de Ano-novo

 

REDIMENSIONADA

 

         Expectativa é o estado de esperar que algo aconteça. Ela é baseada na suposição de que um fato aguardado tem a possibilidade de ocorrer e pode gerar esperança de que acontecimentos bons realizem-se ou medo de que fatos ruins possam trazer problemas.

 

          Final de ano é época de renovação de expectativas e planejamento das atitudes que queremos ter no ano seguinte. Promessas são feitas com o sério propósito de mudanças, com base em desejos nem sempre tornados públicos.

 

          A esperança, que é a crença de que uma coisa muito desejada pode ocorrer, é capaz de promover uma elevação na confiança da pessoa já que há aumento nas expectativas de momentos melhores. Porém, a dificuldade está em saber se existe alguma fundamentação sólida que dá base a tal crença ou se a utopia é quem está dando as cartas por aí.

 

          A definição de utopia está relacionada a uma ideia de construções ou sociedades perfeitas e idealizadas e, a origem da palavra vem do grego e significa ‘um lugar que não existe’. Porém, no senso comum, o termo utopia é comumente utilizado como referência para coisas inalcançáveis ou irrealizáveis e, embora as pessoas o empreguem para dar explicações no cotidiano, não o traduzem para suas vidas quando se trata de fazer escolhas ou estabelecer metas.

 

           Ter expectativas e esperanças de que coisas boas possam acontecer, em um período em que todos falam de renovação e recomeço, pode ser saudável para nosso crescimento. Porém, sempre é necessário fazer uma diferenciação entre essas coisas e a utopia.

   

As utopias vistas como sonhos da humanidade são importantes e certamente serviram como ideias para que visionários pudessem realizar seus feitos. Mas ao estabelecermos metas para um curto período de nossa vida é necessário considerarmos sonhos mais palpáveis.

   

 Muitas vezes, escolhas, planos e decisões são realizados somente a partir da imaginação e devaneios, sem ligações mais concretas com fatos reais da vida, o que gera fantasias e ilusões, com a consequente desilusão quando as coisas não acontecem ou ocorrem de formas não imaginadas.

 

 De que modo você olha para mundo?

  

Nossa vida não se dá apenas pela genética que recebemos, mas também pelas experiências que vamos realizando a partir dos encontros que temos com as diferentes pessoas e situações.

 

Se tivemos experiências difíceis ao longo da mesma, podemos ficar com uma tendência a olhar as coisas e pessoas de um modo mais pessimista e desconfiado.

 

Embora a dor faça parte da vida, muita gente se fixa neste sofrimento e, mesmo inconscientemente, vai criando estruturas mentais de preocupação e ansiedade que são aplicadas repetidamente no cotidiano e geram distorções na realidade daquela pessoa.

 

Outros conseguem enfrentar as dificuldades com mais força, são capazes de obter vitórias e ter uma vida com mais realização, conquistando um olhar diferenciado sobre o mundo.

  

Por outro lado, pessoas que viveram em ambientes mais fáceis e sem muitos obstáculos poderão tender a ter expectativas mais otimistas com relação à vida, embora possam não saber como lidar bem com isso em seu cotidiano e conseguir ter uma existência mais produtiva.

  

O que estamos tentando dizer é que é importante que você busque compreender de que modo olha para a vida quando vai fazer suas escolhas e planejamentos, pois você pode olhar para um lindo vaso de orquídeas e pensar em como elas alegram o seu dia ou como vai ter trabalho em ter que regá-las uma ou duas vezes por semana.

  

Se conseguirmos aprofundar o conhecimento que temos de nós mesmos poderemos também lidar com a realidade de um modo mais tranquilo e aplicar nossas ideias de maneira mais fácil, sem ficarmos frustrados quando as coisas não ocorrem de jeito que gostaríamos.

  

Estabelecendo metas

OLHO MÁGICO CORUJA

 

Fazer planejamentos e estabelecer objetivos nos ajuda a irmos mais adiante em nossa vida. Porém há algumas coisas importantes a serem pensadas quanto a isso:

  

1. não podemos ficar engessados dentro daquilo que planejamos, pois a vida é sempre muito mais rica do que nossos pensamentos e precisamos aprender a fluir com ela;

 

2. para planejar metas e objetivos é necessário que não sejamos superficiais, temos que examinar profundamente nossos desejos e o que está no fundo de nossa alma, já que muitos de nossos sonhos não são realmente nossos e sim de nossa família, namorado/a, marido, esposa, amigos ou diretamente implantados em nós pela propaganda e pela sociedade;

 

3. uma honesta avaliação do que realizamos até o momento e das habilidades e capacidades que temos pode nos permitir uma correlação mais apropriada com o ambiente em que vivemos e com as possibilidades sociais que nos estão colocadas.

  

Veja algumas dicas que publicamos no final de 2016:

  

1. Tire o tempo necessário para pensar em suas expectativas e planejamento para o novo ano. Em um mundo tão apressado, confuso e cheio de ideias apresentadas como salvação, não é fácil separar o joio do trigo. É difícil conseguir saber o que é um desejo realmente nosso e o que é alguma ideia mirabolante de outros;

  

2. Faça uma lista daqueles que você acredita serem seus reais desejos. Não seja econômico(a) e nem tenha vergonha de escrever bobagens ou do que outras pessoas possam pensar;

  

3. Trabalhe sobre esta lista. Pense em quem você é, do que verdadeiramente gosta, desde as coisas mais básicas como apanhar um pouco de sol, ouvir música ou comer chocolate, até as mais complexas como que profissão realmente quer seguir, como deseja estar daqui a 20 anos, que tipo de pessoas quer ao seu lado, como mudar seus relacionamentos profissionais, familiares ou amorosos;

  

4. Amplie sua imaginação em direção a novos sonhos. Conquistar uns, perseguir outros. É isto o que nos move, que nos tira da estagnação, nos faz olhar para outros lugares e com outros olhos;

  

5. Depois de ter tomado o tempo necessário, horas, dias ou semanas, analise sua lista de maneira mais racional, mais pé-no-chão. Procure entender o que realmente diz respeito a você e ao que pode batalhar para conseguir agora ou dar passos para conquistar no futuro. Estabeleça prioridades. Veja o que é possível começar já, o que é melhor deixar para dentro de algum tempo e o que ainda precisa de maturação;

  

6. Porém, mais importante que tudo, pense que é necessário viver o agora, o presente, sem ficar chorando o passado ou querendo beliscar o futuro. Já dizia o poeta que o caminho se faz ao caminhar, e o filósofo, que a vida não tem rascunho, não há como apagar e refazer o desenho. Assim, diminua sua ansiedade e procure estar mais plenamente em suas parcerias, amores ou trabalho.

  

7. Sonhe, mas procure realizar os seus sonhos!